Seleccione a página

Vocação para
sacerdócio

O apelo ao sacerdócio pede ao homem que o recebe que dedique a sua vida a facilitar aos seus irmãos a vida mais próxima de Deus.

O que é uma vocação sacerdotal?

A vocação é um mistério de amor entre Deus que chama um homem com amor e um homem que responde a ele livremente e por amor. No entanto, uma vocação ao sacerdócio não é simplesmente um sentimento. Pelo contrário, é uma certeza interior nascida da graça de Deus, que toca a alma e apela a uma resposta livre.

Se Deus o chamar, a certeza irá crescer à medida que a sua resposta se tornar mais generosa. O apelo ao sacerdócio pede ao homem que o recebe que dedique a sua vida a facilitar aos seus irmãos a vida mais próxima de Deus. Ele foi chamado para prestar um humilde serviço em nome de toda a humanidade.

Quando é ordenado sacerdote: recebe o Sacramento da Ordem e está preparado para emprestar o seu corpo e espírito, ou seja, todo o seu ser, ao Senhor. Ele fará uso dele especialmente nos momentos em que ele realiza o Sacrifício do Corpo e Sangue de Cristo e quando, em nome de Deus, na Confissão Sacramental, ele perdoa pecados.

Ícone das cruzes católicas

Todos nós temos uma vocação?

Sim, todos nós fomos criados por Deus para um propósito e um objectivo. Deus quis um plano único e irrepetível para cada um de nós, um plano que foi planeado desde toda a eternidade: "Antes de te formar no ventre, eu te escolhi; antes de saíres do ventre da mãe, eu te consagrei" (1 Coríntios 5:8). Jeremias 1, 5.

O Catecismo da Igreja Católica fala da vocação à bem-aventurança, em suma, à santidade. À união com Deus que nos faz participantes da Sua felicidade e nos ama completa e incondicionalmente. A vocação comum de todos os discípulos de Cristo é a vocação para a santidade e para a missão de evangelizar o mundo.

Deus convida cada um de nós a seguir um caminho particular na vida com ele. Alguns são chamados a uma vocação sacerdotal, outros à vida religiosa, e os leigos são chamados a encontrá-lo na vida ordinária.

Fotos sacerdotes

Como posso saber se tenho vocação para o sacerdócio?

Deus chama todos e alguns com uma missão específica, concebida pessoalmente para eles: "Cada um à sua maneira", diz o Concílio. Cada crente deve discernir o seu próprio caminho e trazer à tona o melhor de si mesmo, aquilo que é tão pessoal que Deus colocou nele, e não se desgastar tentando imitar algo que não era destinado a ele.

O instrumento que nós cristãos temos para descobrir a nossa vocação e se é uma vocação ao sacerdócio ou não, é a oração. A oração é absolutamente necessária para a vida espiritual. Este diálogo com Deus permite que o espírito se desenvolva.

Oração para o discernimento vocacional

Na oração, a fé na presença de Deus e no seu amor é actualizada. Fomenta a esperança que nos leva a dirigir a nossa vida para Ele e a confiar na Sua providência. E o coração é aumentado respondendo com o seu próprio amor ao Amor divino.

O nosso exemplo é Jesus, que reza antes dos momentos decisivos da sua missão. Com a sua oração, Jesus ensina-nos a rezar, a descobrir a vontade do nosso Deus Pai e a identificar-nos com ela. Além disso, como o Catecismo recomenda, no momento do discernimento vocacional, a figura do director espiritual, ou seja, a pessoa a quem nos podemos confiar e que nos ajuda a descobrir a vontade de Deus, pode ser de grande ajuda.

Sinais vocacionais

O dever de despertar vocações é um dever de toda a comunidade cristã. No CARF nós apoiamos este compromisso.

Na vocação sacerdotal não há regras absolutas. Pode-se, contudo, levar em conta alguns aspectos ou traços gerais que ajudam a discernir se um homem está a ser chamado por Deus para o sacerdócio. O Direito Canónico descreve alguns sinais de vocação sacerdotal.

  • A Vida na Graça 100% 100%
  • Ausência de irregularidades 75% 75%
  • Resignação Evangélica 80% 80%
  • Apelo do Bispo 90% 90%

Sabor para as coisas de Deus

O amor à Igreja e à Eucaristia são os sinais mais claros do chamado ao sacerdócio. O gosto pelas coisas de Deus pode vir subitamente como uma descoberta magnífica de um encontro com Cristo, ou pode ter sido incutido em nós pela nossa família toda a nossa vida desde tenra idade. 

Igreja do Ícone

O amor pela Igreja:

O sacerdote trabalha a tempo inteiro para o Povo de Deus, durante toda a sua vida, numa dedicação apaixonada à Igreja.

Ícone e Vela de Vaso Sagrado

Amor à Eucaristia:

Longos períodos de tempo em frente do tabernáculo, participação na Santa Missa, comunhão diária, seria o processo para o sacerdócio.

A vida na Gracias

Podemos dizer que o propósito do ministério sacerdotal é levar todos os homens a viver na graça de Deus e assim serem salvos eternamente. É por isso que Jesus Cristo viveu, morreu e ressuscitou.

Não se trata de saber se a vocação para o sacerdócio é superior ao caminho comum; trata-se de saber se servirei melhor o Senhor em tal estado.

Ausência de irregularidades

Vida Apostólica

Tem sido mencionado que o candidato, devido ao seu amor pela Igreja, participa no apostolado. O apostolado torna-se o principal valor da sua vida. Podemos dizer que o zelo apostólico é um sinal e um caminho da vocação sacerdotal.

Equilíbrio Emocional

Quando tem a responsabilidade de uma paróquia ou a gestão de uma escola sobre os seus ombros, quando os problemas das pessoas vêm de todos os lados, quando até as tentações se escondem, precisa de possuir uma firme equanimidade e auto-controlo.

Resignação Evangélica

Ao entregar-me, tenho de aceitar a renúncia exigida pela prática dos conselhos evangélicos de uma vida de castidade. Muitos cristãos, seguindo o exemplo de S. Paulo, permaneceram celibatários a fim de se dedicarem completamente ao serviço de Deus.

Capacidade Intelectual

Poder receber e completar uma formação sacerdotal a fim de melhor assistir todos aqueles que se encontram no exercício do seu trabalho pastoral.

Vocação tardia para o sacerdócio

Cada um tem a sua própria história e recebe o chamado do Senhor para segui-lo de uma forma particular. No meu caso, desde jovem pertenci a vários movimentos e grupos apostólicos dentro da Igreja no meu país e a um em particular, os Encuentros Familiares de Venezuela, onde servi a Deus durante vários anos.

Curiosamente, este movimento centra-se na família e no compromisso pessoal para criar uma família futura. O meu projecto de vida estava focado neste caminho, enquanto eu sempre senti a presença de Deus no meu projecto profissional, o que me fez acreditar que isto era também o que Deus queria para mim.

Licenciei-me como Engenheiro Petrolífero e exerci a minha profissão neste campo e como Professor Universitário. Eu estava no auge do meu projecto profissional: a minha família estava muito contente com os resultados que eu tinha obtido até agora e os meus amigos estavam um pouco admirados com as minhas realizações em tão tenra idade. Eu pensava que era isto que me faria completamente feliz, mas na realidade não era. Eu senti-me um pouco vazio e também senti que fui chamado para outra coisa. Foi um duro golpe perceber que o meu projecto tinha falhado apesar do sucesso que eu tinha alcançado até agora e foi então que me pus em marcha numa busca.

A partir desse momento, vários acontecimentos começaram a acontecer, nos quais eu vi claramente que o Senhor me pedia para me entregar totalmente para O seguir: para deixar o meu trabalho, a minha profissão, os meus estudos, até mesmo a minha família. A reacção da minha família foi, no início, uma rejeição severa. Eles obviamente não compreenderam a mudança que significaria deixar tudo o que eu tinha construído ao longo dos anos para embarcar num novo caminho.

Julio César Morillo Leal
Seminariano na Diocese de Cabimas, Venezuela

Leia a história completa