Paulo, uma vida sob a protecção do santo de Assis - Fundação CARF
Seleccionar página
CARF
14 Fora, 22

Testemunhos de sacerdotes

simon_muhangwa

Paulo, uma vida sob a protecção de São Francisco de Assis

Pablo Francisco Gutiérrez é um jovem religioso de 25 anos da congregação de Miles Christi. Acaba de chegar a Roma para estudar a Licenciatura em Teologia na Universidade Pontifícia da Santa Cruz, graças ao apoio da Fundação CARF, que não só contribui para a formação de sacerdotes diocesanos e seminaristas em todo o mundo, mas também está comprometida com as congregações religiosas, especialmente aquelas que são criadas mais recentemente. A missão da Fundação CARF é que todos os seus bolseiros tenham uma preparação académica adequada para enfrentar os desafios da nova evangelização.

Pablo Francisco tem uma grande devoção a São Francisco de Assis e vive sob a sua protecção e abrigo. Ele fala-nos da sua vocação.

"A história da minha vocação tem muito a ver com o meu nome. Uma vida que é um milagre e uma vida sob a protecção de São Francisco de Assis. Nasci em Villa Elisa, uma cidade do distrito de La Plata, na província de Buenos Aires, Argentina. Embora tenha crescido bastante agora, quando eu era criança havia muito poucas casas, era muito mais pequena. Os meus pais e toda a minha família são uma família de fé. Eu sou o terceiro de seis irmãos. A minha mãe, Cristina, de quem todos recebemos a nossa fé, o meu pai, Luis, três irmãos e três irmãs, todos muito dedicados ao apostolado.

Villa Elisa tinha uma forte presença franciscana, De facto, a actual paróquia é um antigo convento franciscano, que tem a escola S. Francisco de Assis em frente, agora toda dirigida pela nossa congregação".

A minha vida foi um milagre

"Todo o povo de Villa Elisa era muito devoto ao santo de Assis. Quando a minha mãe estava grávida de mim, ela teve uma pancreatite muito perigosa e os médicos garantiram-lhe que ela iria perder o bebé que esperava. Lcomunidade rezou especialmente a São Francisco, e a operação teve lugar no dia 8 de Dezembro, a festa da Imaculada Conceição. Graças a Deus, a operação foi além de todas as expectativas e a criança, que era eu, estava completamente saudável.

O próprio médico não conseguiu explicar este acontecimento e disse à minha mãe que era um milagre. Também contávamos com as orações da prima da minha mãe, um padre em Rosário, que desde o início da operação até ao dia do meu nascimento, celebrava todos os dias a Santa Missa por mim.

Eu estava sempre convencido de que a Mãe de Deus me tinha preservado daquele momento para o seu Filho, e que em vez de morrer, eu viveria para servir a Deus. É por isso que estou convencido de que este milagre foi o início da minha vocação.

Uma vocação muito precoce

"Devo dizer que toda a família deve à minha mãe o facto de ter recebido a fé. Ela própria converteu o meu pai, quando éramos casados, e ela sabia como guiar bem todos os seus filhos. Comecei com três anos de idade na Escola São Francisco, e a partir daí lembro-me que sempre quis ser padre. padre. Mesmo, do qual me rio agora, lembro-me de brincar a celebrar a Missa no meu quarto... Usei uma mesa como altar, e uma velha mesa de cabeceira como tabernáculo.

Graças a Deus, sempre existiram vocações na minha família. Neste momento, um tio meu, um padre e o irmão da minha mãe, estava a fazer um curso nesta mesma universidade. O primo da minha mãe, de quem falei anteriormente, também é sacerdote em Rosário, Argentina.

Embora na adolescência este desejo de se tornar um padre tenha desaparecido um pouco, agora vejo que o Senhor estava sempre a chamar-me ao fundodos primeiros desejos da minha infância.

Pablo Francisco Gutiérrez com outro irmão Miles Christi.

Pablo Francisco Gutiérrez é retratado aqui com outro irmão da congregação Miles Christi. Ele diz que a história da sua vocação tem muito a ver com o seu nome. "A minha vida começou por causa de um milagre e sempre esteve sob a protecção de São Francisco de Assis.

Rumo à vida religiosa: a Congregação Miles Christi

"Conhecendo Miles Christi Foi muito fácil. A minha casa fica apenas a um quarteirão da paróquia, e desde criança que frequento sempre o grupo chamado Southern Cross Hawks, que pertence a Miles Christi. A minha mãe sempre nos disse "você tem de ir a um grupo católico... o que você quiser". Mas você não fica aqui, você tem de ser treinado". Agora os meus irmãos e eu estamos muito gratos a ele por esta exigência.

Eu passei toda a minha infância e juventude em Halcones. Comecei aos oito anos de idade e terminei aos 17, juntamente com a escola. Ali, os líderes e padres esforçaram-se por nos incutir alegria cristã saudável, com uma vida sólida de piedade e fortes laços de boas amizades. Graças a este grupo, aproximei-me da congregação, comecei a levar uma vida mais séria de piedade, com direcção espiritual e retiros anuais. E foi lá que recebi o chamado de Deus.

Os Exercícios Espirituais de Santo Inácio

"Em 2013, quando eu tinha 15 anos, fui para um retiro, um retiro espiritual de silêncio, inspirado pelo método de Santo Inácio. Lá eu vi claramente que Deus já me chamava quando era criança, mas agora com muito mais intensidade.

Lembro-me de todas as perguntas na altura... especialmente porquê eu, o que vai acontecer às pessoas com quem faço apostolado, aos meus amigos, etc.? E foi o próprio Deus que se encarregou de responder por mim. No fundo eu tinha medo do que iria acontecer, e vi que um acto de fé e confiança em Deus era necessário. Foi um saltar para o vazio, dando a Deus um cheque em branco, cheio de confiança que se eu me desse totalmente, Ele não se deixaria ultrapassar em generosidade, e tomaria conta de tudo o que me preocupasse. E, claro, o bom senso cuidou do resto: se eu realmente quero tanto a minha casa, a minha família, amigos, etc., é mais seguro para Ele cuidar dela.

Voluntariado e oração

"Eu ainda tinha um ano antes de poder realmente entrar na vida religiosa, por isso decidi usar esse ano inteiro para me dedicar ao apostolado. Lembro-me que comecei a trabalhar mais no apostolado em Miles Christi, especialmente com os meus amigos do grupo Falcão.

Além disso, com um amigo pertencente a Halcones, formamos um grupo com os nossos colegas de turma, cerca de dez pessoas, com as quais íamos todas as quintas-feiras ao hospital infantil de La Plata, à secção de Oncologia, para fazer apostolado com as crianças com cancro. Depois, todas as sextas-feiras, fizemos meia hora de adoração ao Santíssimo Sacramento, e depois partilhámos um lanche um com o outro.

"Sempre tive a convicção de que a Mãe de Deus me tinha preservado daquele momento para o seu Filho, e, em vez de morrer, eu viveria para servir a Deus".

Formação Religiosa

"Quando terminei o ensino secundário, consegui entrar na vida religiosa em Miles Christi no dia 22 de Fevereiro de 2015. Lá estudei humanidades e filosofia na casa de formação em Luján, a poucos quilómetros do santuário da Virgem de Luján.

Fiz então o meu noviciado lá, culminando com os votos e a tomada do hábito em 11 de Fevereiro de 2021, Nossa Senhora de Lourdes, juntamente com a irmãos Agustín e Mariano de Miles Christi, que estudam comigo na Universidade Pontifícia da Santa Cruz, eles também graças ao apoio da Fundação CARF. Tive a graça de fazer parte da congregação e de ser acompanhado por excelentes padres que me apoiaram durante todo este tempo, entre eles o P. Gustavo e o P. Carlos".

Um ano inesquecível

"Depois dos meus votos, fui enviado para fazer a minha formação apostólica na província de São Luis, também na Argentina. Esse ano e meio vai ser inesquecível para mim. O Senhor encheu-me de graças, mas acima de tudo amadureceu muito a minha vocação. Lá pude praticar o apostolado ao qual dedicaria a minha vida pelo Senhor, e pelo qual estou agora a estudar teologia.

San Luis é uma província pobre, mas o povo é muito próximo, com uma fé forte mas simples. Consegui trabalhar muito com o grupo Halcones, que tinha sido fundado dois anos antes, no qual participam muitos jovens e crianças.

Também me dediquei a jovens estudantes universitários, dando palestras, organizando campos de férias, etc. Um ponto muito importante era a organização de missões na própria província: íamos com os jovens a diferentes lugares, às vezes aldeias, às vezes capelas nas serras, onde caminhávamos durante muito tempo por estradas de terra no meio das serras para chegar a alguma casa desconhecida, onde as pessoas viviam, para rezar com eles e tentar aproximá-los de Deus.

Além disso, com jovens e adolescentes dos grupos, conseguimos formar um coro de canto polifónico, organizando mesmo dois concertos. Tudo isto sempre com o objectivo de levar as almas a Deus. Mas uma das coisas pelas quais estou mais grato a Deus é que, após um ano lá, o meu antigo formador, e também um verdadeiro irmão para mim, foi designado para a minha própria comunidade, por isso partilhámos lá alguns meses de trabalho apostólico árduo.

Pablo Francisco Gutiérrez com os jovens.

Pablo Francisco Gutiérrez com jovens e outros irmãos Miles Christi.

Em Roma!

"A partida para ir a Roma para continuar a minha formação foi dolorosa, e mesmo assim o Senhor quer completar a sua obra, e eu ainda tinha de estudar teologia antes de poder ser ordenado. Magoou-nos a todos, mas, como o meu formador disse numa das despedidas, "se ele pudesse fazer tanto bem como um irmão... muito mais bem ele fará como padre". Lembro-me que tive até treze despedidas.

Finalmente, por tudo isto agradeço a Deus, e por me dar esta grande graça de poder estudar teologia no centro da nossa fé, Roma. E desejo com todo o meu coração poder responder a esta grande graça que o Senhor me dá com generosidade, entregando-me plenamente ao estudo da ciência de Deus.aqui na Universidade de Santa Croce.

Por esta razão, gostaria também de agradecer especialmente a todos aqueles que me tornam possível completar a minha formação sacerdotal, especialmente a todos os irmãos e irmãs da Fundação CARF - Fundação Centro Académico Romano, e assegurar-lhes a vossa presença nas minhas orações, por darem esta ajuda muito concreta à nossa amada Igreja na formação de novos sacerdotes. E graças também à protecção de São Francisco de Assis".

Gerardo Ferrara
Licenciado em História e Ciência Política, especializado no Médio Oriente.
Chefe do corpo estudantil na Universidade Pontifícia da Santa Cruz em Roma.

Sacerdotes, o sorriso de Deus na Terra

Dê um rosto à sua doação. Ajude-nos a formar sacerdotes diocesanos e religiosos.

Artigos relacionados